o dia

| 17/12/2014
E o dia tão esperado e tão temido chegou.
16 de dezembro de 2014. 
O dia em que o intercâmbio terminaria, o dia em que eu teria que dar adeus aos amigos conquistados aqui, dar adeus aos lugares de costume, o dia de chorar sem vergonha na frente das pessoas.
Chegou o dia em que meus pais ansiaram por um ano e meio, chegou o dia em que, às vezes, eu desejei que nunca chegasse. Chegou o dia em que eu desejei que chegasse o mais rápido possível. Chegou o dia em que eu ia sentir todas as emoções possíveis de uma vez só, o dia em que eu ficaria triste de alegria e alegre de tristeza. Chegou o dia em que eu pude, enfim, dizer: to chegando, mainha! 
Chegou aquele dia! E, por mais que as vezes eu quisesse que ele nunca chegasse, eu estou feliz que chegou. Estou feliz em poder voltar pros meus, feliz em poder ver aqueles sorrisos que eu não vejo ha um ano e meio, feliz por poder sentir aqueles abraços que tanto fizeram falta e feliz por, enfim, estar voltando pros meus.
Mas ao mesmo tempo eu estou triste. Não dá pra não ficar, que me perdoem! Mas não dá pra deixar os amigos de um ano e meio, pessoas que foram tua família durante esse tempo, não da pra dizer adeus e continuar feliz. Não dá pra despedir de amigos maravilhosos, de uma vida maravilhosa e de um país maravilhoso e não ficar triste. 

Mas o dia chegou. Estou feliz e estou triste, mas estou voltando.
edit
| 24/11/2014
Confesso que eu penso em você mais do que o esperado;
Confesso que sinto sua falta nos mínimos detalhes;
Confesso que ainda espero por um abraço;
Confesso que cada dia penso em uma coisa nova pra te dizer;
E guardo elas bem guardadas.
Confesso que toda vez que bebo um pouquinho mais, é de você que eu lembro;
É o teu cheiro que eu sinto em outros abraços, é do gosto do teu beijo que eu me lembro quando outra  boca me beija;
Confesso que toda noite eu penso em você antes de dormir e me dá um vontade danada de falar contigo;
Confesso que eu te queria de volta.
Confesso que, mesmo sabendo que nossos santos não batem, nossa fé não se mistura, nossos corpos não estão mais moldados, nosso abraço já não mais encaixa, minhas mãos não sabem mais o formato das suas, nossos corações já não batem mais em sintonia, mesmo sabendo disso tudo eu te queria de volta. Ou talvez só por um momento, só pra tentar sentir tudo aquilo de bonito que eu fui capaz de sentir um dia.
Só pra ter o gostinho de como é sentir esse tanto de coisa por alguém. Como é ter essa sensação de só querer uma pessoa no mundo.

Não volta, não. Não quero tu de volta. Quero ser só aquela de antes. Quero só ter toda aquela inocência, todo aquele amor que tu me fez perder.

Volta, volta sim. Volta só pra me fazer lembrar de como eu era quando tu me conheceu, pra me lembrar de tudo o que eu era capaz de fazer e sentir por alguém.

Não, não volta. Mas volta.


edit

30 days left

| 16/11/2014
Hoje, 16 de novembro de 2014, faltam exatamente 30 dias pra eu deixar esse país maravilhoso. 
E ao mesmo tempo que "ainda" faltam trinta dias, "só" faltam trinta dias. 

Eu começo a sentir essa mistura de sentimentos inexplicável, já posso sentir cada pedacinho do meu coração se esvaindo enquanto eu me despeço de cada pessoa que fez parte dessa vida durante um ano.

Não dá pra explicar essa mistura de emoções: a vontade de ir embora, dar um abraço gostoso nos meus que deixei tão longe e o desejo de ficar, de continuar descobrindo esse mundo que é a Australia, de poder ceder ao pedido de alguns "please, can I keep you here?!", "Please, don't go back to Brazil, I'll miss you!" ou de poder responder um sim com toda a certeza do mundo quando pedem: "Promise me to come back". E de acreditar quando dizem: "You are always welcome back. I'll always be here for you if you need".

Esses são os piores sentimentos que alguém pode sentir. O desejo de ir, a vontade de ficar, o anseio de voltar. Essa mistura não dá certo.

Restam 30 dias. 30 dias pra aproveitar isso aqui ao máximo, pra não arrepender de nada. 30 dias pra voltar pro Brasil e esperar pra ver como minha cabeça vai reagir nesse choque de realidade.


Sad but true.


edit

Sobre ter 24.

| 26/08/2014
Ontem meu irmão me lembrou que eu já tenho 24 anos. E um filme passou pela minha cabeça.
E parei pra me perguntar se eu JÁ tenho 24 ou se eu AINDA tenho 24.

Ao mesmo tempo que bateu uma bad por pensar que eu JÁ tenho 24, que o tempo tá passando rápido demais e que eu ainda quero fazer tanta coisa... Que ainda preciso de dois anos e meio pra terminar a faculdade, mais um tempo pra ganhar dinheiro, mais um tempo pra mudar de bairro, de cidade de país.. Bateu aquele medo de não ter tempo pra tudo isso, de estar cansada demais, de ter uma sociedade te julgando por você ser "velha demais", por não estar casada, por não ter dois filhos, por não ter uma casa própria... Bom, os tempos mudaram. Eu não quero seguir padrões, eu não quero achar que eu preciso estar casada aos 27 só porque a sociedade disse que isso é o "mais normal". Tem tanto lugar que precisa ser conhecido, tanta gente querendo ser vista, querendo ser tocada, querendo contar suas histórias, querendo ouvir as minhas histórias... e eu não quero estar parada em lugar, cercada das mesmas pessoas de sempre, fazendo as mesmas coisas de sempre e sem conhecer o novo que todo dia esse mundo está disposto a oferecer.

E foi aí que bateu um alívio por pensar que eu AINDA tenho 24, que o tempo voa mas eu quero estar nas asas desse tempo, voando por aí, encontrando o novo, conhecendo novas historias, novos abraços, novas perspectivas, novos jeitos de viver a vida.

E foi aí que me toquei que eu AINDA tenho 24 e tenho muuuuita coisa pra viver!



edit
| 18/08/2014

"Eu quis te convencer,
mas chega de insistir.
Caberá ao nosso amor o que há de vir"








˜ Eu ando em frente por sentir vontade.
Caminho em frente pra sentir saudade.
edit
| 12/08/2014
As vezes eu me pego pensando em você. Olhando esses teus olhos pequeninos e pensando em como as coisas são loucas. Em como eu queria você pertinho de mim, pra eu dormir no teu ombro, e ao mesmo tempo pensando que eu não quero ver tua cara na minha frente. Pra falar a verdade, nem consigo lembrar do cheiro do seu perfume, mas eu consigo lembrar do teu abraço e como era gostoso encaixar minha cabeça no teu pescoço e sentir teu cheiro. Lembro de tu acordando e me abraçando forte. Lembro do beijo do ombro e logo em seguida o beijo no pescoço e tu voltando a dormir. Parecia que era pra lembrar que tu tava alí, como se fosse possível esquecer.. 

E eu fico pensando porque diabos as coisas não poderiam ser mais simples.. E eu fico me fazendo todas as perguntas que deveriam ser direcionadas a você, mas que eu nunca te perguntaria. 

Às vezes sou eu tentando não pensar em nada disso; evitando lembrar do teu carinho, do teu abraço e dos teus olhinhos de manhã. Me distraindo com outros pensamentos bobos pra não tentar pensar sobre nós.
E tem essa vontade insaciável de conhecer o novo, de trilhar algo diferente. Tem  essa vontade absurda de conhecer gente nova. Talvez essa seja a maneira que meu cérebro conseguiu de tentar te tirar de foco, tentar fazer com que eu esquecesse um pouco essa loucura que é pensar em nós dois.
Que é tentar entender o que se passa na minha cabeça, no seu ciúme, no nosso egoísmo.

Talvez seja só o jeito que eu consegui de parar de pensar nessas questões. De querer saber do que você tem medo, de querer entender como você consegue ser tão distante e como consegue não se importar com nada disso.


Mas no final das contas eu só queria entender porquê eu ainda perco o meu tempo pensando em você.
edit

Mudanças...

| 21/07/2014
Já pensou viver uma vida em que nada nunca saísse do lugar?
As mesmas ideias, os mesmos ideais, os espaços com as mesmas decorações, os mesmos livros, as mesma estante, o mesmo cabelo, a mesma rotina over and over again.
Uma chatice, né?
Às vezes eu até gosto da rotina, mas por um curto espaço de tempo. Mas tem uma hora em que é preciso mudar. Largar as amarras, sair correndo e fazer algo novo. Pra que as coisas mudem é necessário só o primeiro passo.
Eu resolvi mudar. De casa, de cidade, de ambiente, de pensamentos, de sentimentos, de bagagem e com coragem! No começo foi fácil até demais, mas quando a ficha começou a cair, quando foi chegando o grande dia, o coração começou a apertar e eu comecei a pensar demais nas coisas. [Uma dica: Não pense demais. Se você pensar demais, você não sai do lugar.] E ao pensar demais eu comecei a me tocar de todas as coisas que eu poderia perder abrindo mão de tudo aquilo e me jogando em algo novo. E o arrependimento bate. Começa aquela coisinha estranha... Mas aí você não pode se deixar levar por essas emoções de despedidas. Se arriscar é preciso e o novo, apesar de assustador, é muito excitante e traz consigo sempre coisas maravilhosas, basta você saber como aproveitá-las.
Foi difícil, é difícil, está sendo difícil. Mas coisas boas virão, tenho certeza.

Basta ir! Sempre em frente!

Depois que você coloca um pé na frente do outro fica muito mais fácil pra que todas as maravilhas que uma mudança pode trazer, aparecerem em sua vida!

Mude. Sem medo. Se liberte do que te prende. Busque o novo e o novo há de ser lindo com você!
edit

Sobre se arriscar

| 06/07/2014
"Eu me entrego apenas quando souber que o que iremos passar vai ter valido uma canção"

Acho que já escrevi aqui sobre correr riscos e como eu sou uma pessoa que sempre me jogo de cabeça em tudo o que eu faco e blablablá. Pois é.
Eu não sei até onde isso é bom ou até onde isso me faz bem, já que as vezes pode machucar. Mas eu só sei que eu vivo melhor quando não tenho arrependimentos pelo que deixei de fazer. é aquele velho clichê de sempre, né.. "melhor se arrepender do que fez e blablablá". Dia desses eu passei por uma experiência um tanto quanto estranha. Totalmente nova e completamente arriscada. hahahah
Sei lá, são coisas que a gente faz e que meio que faz a gente se sentir vivo, sentir que temos algo a perder, que temos algo a arriscar, que temos algo a conquistar. Mesmo que seja ínfimo.
As vezes coisas que são vividas em alguns minutos, horas, dias, marcam bastante a gente. Não pelo fato daquilo significar coisa grande, mas pelo fato daquilo marcar um determinado momento da sua vida em que você não se importou com nada, você largou as amarras do seu subconsciente e se jogou com tudo em determinada coisa. Sem saber se haveria um retorno, se era uma pista de mão dupla, se era alguma coisa que valeria a pena, se se arrependeria... Você simplesmente se joga pra tentar se sentir livre, se sentir viva.
E é, eu acho que dá/deu certo. Sem preocupações você consegue aproveitar cada segundo, cada momento e consegue tirar o melhor da situação. Além de usufruir completamente de todo o riso solto proporcionado.


"Eu me entrego pros dias de sol, pras camisas de banda e até pra chocolates.
Ou filmes de romance esquecidos na estante,
 pros perfumes que deixam boas lembranças, pras risadas que me tiram todo o ar...
Não pense muito. No fim, tudo se adapta. 
Se alguém te deixou cego, não questione, simplesmente vá.
Se o errado pra mim for o certo eu não me importo, eu me entrego.
Eu me entrego apenas quando souber que o que iremos passar vai ter valido uma canção, a tudo que puder antes que a cortina feche...
De um jeito que ninguém sabe, sem sonhar com os pés no chão.
Entregue-se àquilo que te faz sentir!
Entregue-se àquilo que te faz!"

Entregue-se - Tie





Ps. Essa musica é bem fofa e ela me inspirou. 
edit
| 03/07/2014
"Em que sonho eu sonho meu sonho igual ao teu?
Que linha liga o teu coração ao meu?
Em que tronco encontro talhado o meu nome e o teu?
Em que sonho eu sonho o meu sonho igual ao teu?
O meu coração ao teu, teu nome talhado e o meu
Meu sonho, meu sonho"

Apanhador Só - Nescafé
edit

Bagunça

| 11/06/2014
Toda vez que você “aparece” na minha vida, você me bagunça.
Não mais aquela bagunça que você fazia antes, aquela que era impossível de arrumar, sabe?
Mas você sempre mexe em algumas coisas, tira outras do lugar, coloca suas coisas na minha mesa, sem pedir nenhuma autorização. E vai abrindo espaço pra tudo o que é seu, como se fosse dono daquilo, como se tivesse direito de sair mexendo em tudo. E deixa tudo bagunçado, tira minhas certezas do lugar e me deixa pensando que tem alguma coisa errada comigo.
Eu juro que tento entender o porquê de você me bagunçar desse jeito. Mas eu não chego a lugar algum. Chego a pensar até que você gosta disso, que isso te faz bem de alguma forma. Que você gosta de saber que ainda pode entrar e bagunçar as coisas, que ainda pode colocar suas coisas em algum lugar, que eu nem vou reclamar da bagunça. Acho que você gosta de saber que ainda existe um lugarzinho aqui que ainda abre espaço, mesmo que sem querer, pra suas coisas entrarem.
Acho mesmo que você gosta de acreditar que tem algum pedacinho aqui dentro de mim que ainda sente sua falta.


É, eu acho.
edit

sobre dias nublados

| 01/06/2014
Sabe aqueles dias em que você acorda e parece que o dia tá parado?
E você olha pela janela, o céu tá nublado, contribuindo pra que tudo seja exatamente como você não queria que fosse. 
Dias nublados me fazem pensar demais. Na vida, nas músicas, nos amigos, nas distancias,  nos filmes, nos livros, nos fins, nos (re)começos, nas cores, nos amores...
Dias nublados não são chatos, eu até gosto deles. Mas eles são depressivos se você não estiver com tudo sob controle na sua vida. Sério. Quem no auge da sua vida feliz fica triste num dia nublado? hahahaha
Dias nublados são excelentes pra ver um filme embaixo do edredom, comer brigadeiro na panela, dormir abraçado até não aguentar mais, conversar bobagens e morrer de rir!
Mas quando nem tudo tem seu encaixe, dias nublados nos fazem pensar em todos os motivos pelo qual as coisas não estão totalmente resolvidas. Eles nos fazem querer entender cada motivo, cada razão, cada passo que foi dado errado pra que as coisas não estejam completamente encaixadas. E quando isso acontece, parece que o dia acaba. Aquele dia nublado que tinha tudo pra ser lindo, se torna o dia mais chato de todos os tempos e você só quer dormir pra tentar tirar todos os pensamentos da cabeça. 
Mas uma hora o dia acaba. E se o outro dia amanhecer nublado, basta tentar lembrar que tudo já foi relembrado no dia anterior.
edit

weakness.

| 10/05/2014
Com você eu sou fraca.
Isso mesmo. Quando eu estou com você eu me desfaço de tudo que um dia acreditei ser: forte, segura, madura e confiante.
Perto de você parece que tudo que foi construído até aqui se esvai numa fração de segundos.
E como pode alguém gostar de ser sentir menos ao lado de alguém?
E como pode alguém não conseguir se desfazer desse menos?
Não sei como e nem porque isso acontece. E talvez eu nem consiga entender. Você tem a capacidade de mexer comigo, com meus sentidos e com minha estrutura emocional. E é incrível como você consegue me abalar tanto. Não há o que fazer, não ha como mudar. É um caso sem futuro e sem passado, é um presente difícil de ser vivido e ao mesmo tempo é um presente querendo ser vivido. 
Eu não sei o que fazer com isso. Não ha dor e nem amor, sabe? É uma coisa estranha que eu não saberia e nem tentaria definir. Quando você sorri, parece que nada mais existe. Mas quando você finge não se importar, eu desejo nunca ter te conhecido. 
Não sei até quando isso vai continuar a existir, mas eu espero que essa fraqueza que eu sinto ao seu lado não se transforme em nada que eu não consiga controlar.
Você é uma incógnita, uma interrogação, um estranho que eu não consigo decifrar. E isso é pior do que se eu descobrisse que você não vale nada. 

~ 21/04/2014.
edit
| 23/04/2014
"Depois de rir e vir tantas vezes pelo meu mundo, desapareceu levando os silêncios, as cinzas, os contos e esse coração aprendiz que, de tanto esperar, desaprendeu a ter paciência".
Eu me chamo Antônio - Coração aprendiz.
edit
| 22/04/2014
"Maybe I'll forget.
Maybe I won't.
I'm stuck in the moment and so far from home.
This lovin' nobody, it's breakin' my heart.
But you never know this wherever you are"
edit
| 16/04/2014
Quando a gente aprende que sentimento não se quantifica e nem se define, a gente consegue identificar as coisas e os sentimentos das pessoas com mais clareza. 
Se ninguém é igual por que os amores haveriam de ser?

Dedicado à Meme. 
edit

Sobre viver e não perder tempo

| 03/04/2014
Um dia desses eu assisti ao filme "About time". É a história de um cara que pode voltar no tempo.
Pronto, só em dizer isso você já sabe do que eu tô falando.
O filme é lindo e assistindo-o eu só ficava cada vez mais maravilhada com aquilo, imaginando como que seriam as coisas se eu tivesse aquele poder. Eu poderia listar aqui todos as coisas que eu mudaria no meu passado, mas a lista ia ser grande e meio constrangedora. rs. 
No filme, o carinha é ensinado pelo pai a reviver cada dia com perspectivas diferentes. Olhando o mundo de um jeito diferente do primeiro dia... Mas no final do filme (sorry, spoiler!!) ele me ensinou uma coisa muito bonita! Ele diz que ele aprendeu a viver cada dia como se ele tivesse voltado pra aquele dia, entende?
O que me levou a refletir que como nós vamos viver os nossos dias depende exclusivamente de nós.
Se aprendermos a vivê-los observando todas as perspectivas boas de cada dia, nossos dias serão sempre os dias que voltamos a viver. É preciso somente que saibamos aproveitar cada segundinho pra fazer dos nossos dias os mais felizes. 


"Ele me contou a fórmula secreta dele da felicidade. 
A primeira parte do plano era continuar minha vida simples, vivendo-a dia após dia como todo mundo. 
Mas aí veio a segunda parte do plano. Ele falou pra eu viver os dias de novo, quase do mesmo jeito. 
Viver a primeira vez com as tensões que impedem de vermos quão doce o mundo pode ser, mas na segunda vez, vendo.
E no final acho que aprendi a lição final das minhas viagens no tempo...
A verdade é que não volto mais no tempo, nem por um dia.
 Tento viver cada dia como se eu tivesse voltado pra este dia, para curti-lo como se fosse o dia final da minha extraordinária e simples vida.
Todos nós viajamos no tempo juntos todos os dias das nossas vidas. 
Só podemos fazer o nosso melhor para aproveitar esse passeio surpreendente."
About Time
edit
| 19/02/2014
"Quando o olhar for mais forte que o tocar, é amor."
edit
| 18/02/2014
Achei esse texto bem interessante em um blog... E concordo com tudinho que esse cara disse. A gente precisa deixar a porta aberta e permitir que o outro entre e tente arrancar de nós aquele riso sincero de quando a gente ta amando.


"Hoje, por experiência própria, eu digo: “quase nunca acontece como nos filmes!”. Percebi que para deixarmos o amor surgir, em muitos casos, precisamos dar tempo e chances para que o outro mostre o quanto está disposto a se adaptar e a relevar as nossas imperfeições. E, meus caros, posso afirmar que não existe nada mais bonito do que perceber que, para ficar perto de nós, o outro aprendeu a aceitar e até a admirar as nossas imperfeições. O amor, muitas vezes, surge de uma soma de situações cotidianas. Não entendeu? É simples: o amor é fruto das vezes que o pegou, com cara de bobo, velando seu sono, somadas as vezes que ele, claramente, sofreu quando viu o termômetro afirmando que você estava com febre, multiplicadas as vezes que ele, para não correr o risco de lhe perder, calou-se diante uma palavra que, facilmente, poderia ter iniciado uma guerra mundial. Entendeu agora?
“Quanto mais tempo eu passo com você, mais tempo quero passar ao seu lado”, foi o que escrevi no bilhete que colei na geladeira dela, antes de partir. Escrevi isso, pois percebi que o tempo, apesar de não curar, como dizem por aí, nos dá a chance de dar ao outro, através de atitudes, bons argumentos para que ele nos queira ali, fincado dentro do peito.
Assim como acontece com a massa de um bolo que parece incapaz de inchar, o amor também pode, quando menos esperamos, crescer e até, nos melhores casos, transbordar da nossa forma. Porém, para que exista a mínima possibilidade disso acontecer, precisamos tomar cuidado para não podá-lo antes mesmo que ele comece a dar as caras.
Mais uma coisa: saiba que obrigar alguém a nos amar é impossível, mas que dar bons motivos para que isso aconteça é algo perfeitamente cabível a nós e capaz de, com certezas, encher corações indecisos."


Ricardo Coiro - http://www.casalsemvergonha.com.br/2014/01/22/foi-amor-a-milesima-vista/
edit

Both know.

| 23/01/2014
"Os dois sabem que é perda de tempo tentar esquecer. Que sentir saudade não significa que melhoraram como pessoa, que agora magistralmente seus temperamentos são compatíveis e o correto seria viver aquilo tudo de novo, do êxtase à dor. Significa apenas que foi bom, que foi inesquecível. E que qualquer amor que força as cordas vocais a produzirem um eu te amo não tem fim, mesmo acabando sempre do mesmo jeito, dividido por dois."
- Gabito Nunes.
edit

É vida nova!

| 02/01/2014
Todo inicio de janeiro eu releio meu último post do ano anterior.
E em dezembro de 2012 eu escrevi assim:
"Eu não fiz promessas pra 2013. Eu confesso que não parei pra pensar sobre isso. Mas tenho certeza que será um bom ano!" E foi!

2013 foi um ano incrível! Foi um ano complicado, mas foi um ano lindo!
Eu realmente não fiz promessas, eu vivi meus dias tentando fazê-los melhores a cada dia que se passou. Eu vivi meus sonhos e projetos devargarzinho até que tudo se concretizasse! 

Então, no finalzinho de 2012 eu me inscrevi pro Ciência Sem Fronteiras e em 2013, depois de tanta espera, recebi o resultado que viajaria pra Austrália e ficaria aqui por um ano e meio! Foi um misto de emoção e de agonia. Felicidade que não cabia em mim. Era um sonho se realizando e eu não conseguia acreditar!
Em agosto de 2013 eu embarquei por essa aventura e olha, foi o melhor de 2013!
Conheci pessoas maravilhosas que com certeza levarei pro resto da vida. Amizades verdadeiras que se tornaram minha família aqui no exterior. E pra melhorar o ano passei o réveillon no melhor lugar do mundo: Sydney! Nunca na vida que eu achei que isso seria possível e foi tudo lindo! 
Tenho mais um ano aqui na Austrália, e espero que seja mil vezes melhor que 2013! Mas isso só depende de mim! A responsabilidade de fazer meu ano bom ou ruim é somente minha! Então, espero que eu consiga dar o meu melhor pra que tudo seja lindo nesse ano novo, nessa vida nova!

Vamos viver intensamente e cuidar de cada dia pra que o ano valha realmente a pena!
Eu agradeço a Deus e espero nEle forças pra poder continuar!

Que 2014 seja cheio de vida! 

:)




edit
Postagens mais recentes Postagens mais antigas

Um blog que mistura verdades, pesares e poesia ~

© Design 1/2 a px. · 2015 · Pattern Template by Simzu · © Content ~ Apesar do Pesar