| 14/01/2016
Eu acho que tô vendo muita comédia romântica ou lendo muitos blogs que falam sobre a vida, o amor e os dois juntos. Eu ando meio molinha pra essas coisas, sabe? Sem fantasiar, só wondering quando que é uma coisa dessas coisas vai acontecer comigo.
Sei lá, as vezes parece que não vai chegar nunca, sabe? Não que eu esteja desesperadamente aguardando ou que seja pra já. Eu sei que um dia chega, que o que eu tenho guardado aqui ainda vai ter a oportunidade de ser entregue pra alguém. Sei que vai chegar o dia em que, sem explicação nenhuma, eu vou querer estar ao lado de um só alguém.

Mas sei lá, as vezes parece muito que eu nunca vou tocar a alma de alguém e ser tocada de volta. Tudo anda muito superficial, as pessoas, as relações, os propósitos, as vidas. Chega uma hora que toda aquela diversão de ficar com um e outro, de experimentar mil corpos sem nenhum compromisso com eles, chega ao fim. E você vê o quão vazios esses tipos de relacionamentos podem ser. E você quer mais. Quer saber a comida favorita, o seriado do momento, a banda que a pessoa é viciada. Você quer conhecer mais, sabe? Você não quer só a capa, o corpo, o beijo, o suor, o prazer. Você quer ficar com alguém além da carne, além da capa, além da superficialidade. O mundo tá cheio de gente que prefere quantidade, que te beija hoje e no dia seguinte esquece de onde te conheceu. Acho que é culpa das mil oportunidades. Hoje em dia tudo é muito fácil, muito acessível. Incluindo as pessoas. Estas, quando não se apaixonaram e não sabem o valor que o outro representa pra si, acabam trocando e trocando de parceiro como quem troca de roupa. Isso porque temos muita opções e enquanto você não encontra alguém que faça seu coração bater acelerado e nele uma razão pra acordar, você vai continuar achando que existem possibilidades demais e que cada uma delas pode ser melhor que a outra, e por quê não?! É isso, tá "difícil" porque nós mesmos queremos ter tudo ao mesmo tempo. E that's not gonna happen! 


Mas é isso. Uma hora chega.
Em algum momento, oportuno ou não, minha alma esbarra em outra alma e elas vão se tocar lindamente. E, por mais agoniada que eu seja, pressa pra isso eu não tenho.

E assim eu vivo em paz, lendo blogs falando de amor e desejando que, na hora certa, a alma certa me toque.






edit

A paz de se sentir completa

| 03/01/2016
Quando eu paro pra pensar em como eu era há um ano atrás, eu sinto um misto de graça e alívio. Eu era completamente dependente de alguém. Não alguém específico, mas eu sentia a necessidade de estar ao lado de alguém pra me sentir feliz e completa. Não sabia ser solteira. Sempre namorei, e tive namoros longos. Então a solidão era, pra mim, algo extremamente assustador. Mas no fundo, no fundo, eu sempre soube que eu precisava estar só. Que eu precisava ter esse encontro comigo mesma, ser minha, ser completamente sozinha pra, então, poder ser de alguém. E eu comecei a trabalhar isso dentro de mim. Foram dias difíceis, e eu culpava sempre o outro por não dar certo, por meu interesse acabar, quando, na verdade, o problema estava todo em mim: eu não estava disponível pra encontros e matches no tinder, eu precisava de um encontro comigo mesma.
Mas era difícil de aceitar. Solidão é algo que machuca e quando ela quer te abraçar, ela te aperta! E foram meses insistindo em matches, encontros fajutos e conversas que não vingavam até o segundo encontro. Além de me sentir sozinha, eu comecei a achar que tinha algo errado comigo, porque nada vingava com ninguém. E então veio aquela velha sacudida que o meu eu interior resolveu me dar: a única coisa de errada no momento, era é que eu não sabia lidar comigo mesma. E eu precisava aprender.
E esse sacode me deixou bamba. Como que eu não conseguia lidar comigo mesma? E outra, se nem eu conseguia, como alguém iria conseguir um dia na vida?! hahaha Foram dias difíceis de auto-conhecimento, de muito choro, de muita carência, de solidão. Foram dias necessários, dores que precisavam ser sentidas pra que eu conseguisse chegar onde estou eu: amando minha própria companhia, apreciando a paz de estar sozinha e não trocando minha paz por qualquer coisa, não querendo alguém do lado por pura carência e necessidade.

Quando eu olho pra trás e comparo com o hoje, eu percebo o quanto as coisas mudaram e como eu amadureci. Autoconhecimento é tudo e o amor próprio move a gente.

Por fim, eu entendi que eu preciso ser minha - mãe, filha, irmã, amiga, companheira, confidente, cúmplice -  pra que eu não precise desesperadamente procurar isso em outras pessoas. Que eu devo procurar no outro alguém que chegue completo, que acrescente coisas à minha vida, que me ensine coisas novas, que me tire do comodismo e que me faça acordar às 2am só pra receber um beijo. Alguém que me faça sentir. Eu quero sentir! Que seja amor, paz, carência, solidão e até dor. Mas que eu sinta. E que, acima de tudo, minha companhia continue sendo a minha melhor dependência.


"E o que é estar em paz pra ser minha e assim ser sua?
Quando já não procurava mais, pude enfim nos olhos teus, vestidos d'agua, me atirar tranquila daqui"





edit

Sobre as coisas boas do ano que acabou de passar...

| 03/01/2016
Em Janeiro de 2014 eu escrevi os meu votos pra 2015. E como de costume, reli meu post de 2015 e pra minha surpresa eu escrevi isso:

"Enfim, eu não desejei nada ainda pra 2015. Mas sei que será um bom ano, porque pra os dias serem melhores, só depende de mim. E eu tô disposta a fazer com que eles sejam incríveis." 

É, e eles foram!

Mas oh, 2015.. Não queria te dizer não, mas tão falando muito mal de você por aí... dizendo que você foi péssimo, que o país nunca sofreu tanto na economia e blablabla.. É, tão dizendo que "graças a Deus" você acabou. Tão dizendo também que se você foi ruim, imagina 2016?! Olha, não fica triste, não. Muita gente gostou de você. E olha, eu também achava que você seria um péssimo ano. Eu passei a virada do ano gripada, de nariz vermelho e olhos lacrimejados. Eu poderia esperar o que de um ano desses?! hahahaha

Mas você me surpreendeu, tenho que confessar. Foi o ano mais atípico da minha vida! Eu comecei o ano apreensiva, ansiosa e assustada. Eu tinha acabado de chegar do intercâmbio, ia entrar em uma turma nova na Universidade e carregava muitos medos nas costas. E, pra minha surpresa, 2015 me cercou de coisa boa!

Você trouxe tanta gente boa pra minha vida, que eu desejaria um 2015 novamente só pra ganhar mais gente assim! De janeiro até dezembro, você me trouxe alguém especial. Você devolveu diversos sentimentos que eu achava que tinha perdido no ano passado, você trouxe gente nova, cada mês alguém diferente pra colorir meus dias e você trouxe tanto, mas tanto amor, que eu acho que nem cabe mais em mim! hahahah Obrigada, 2015. Você pode até ser sido um péssimo ano pra economia do país, mas você foi um ótimo ano pra mim.

E os meus dias foram, realmente, incríveis! Eu só pedi pra Deus guiar meus passos e que eu soubesse aproveitar as oportunidades que me fossem dadas, porque eu tinha disposição de sobra pra fazer cada dia melhor que o outro. E assim Ele fez. 


E pra 2016 eu repito: Que eu tenha disposição pra fazer meus dias incríveis!

E pra 2015: Gratidão!


Obrigada, Deus!

Porque felicidade é saber ser grato!






edit
Postagens mais recentes Postagens mais antigas

Um blog que mistura verdades, pesares e poesia ~

© Design 1/2 a px. · 2015 · Pattern Template by Simzu · © Content ~ Apesar do Pesar