O verbo

| 24/12/2013
O verbo era o verbo
Não era uma palavra qualquer, era somente o verbo.
Ninguém sabia do que se tratava ou seu real significado. Mas eles sabiam exatamente o que queriam dizer.

Esse verbo não demorou a ser decifrado
Não precisou de muita gramática porque no coração ele estava mais do que revelado.

Mas alguém decidiu que o verbo não era mais necessário, que não tinha significado. Talvez a gramática ou o destino ou seja lá o quê que domine os sentidos.
E foi concluído que o mais prudente era ser "desconjugado". 

Pra ser sincera, significado ele sempre teve/terá mas já não havia/há sentido em ser pronunciado.




edit
| 23/12/2013
"Você me bagunça e tumultua tudo em mim"

- O Teatro Mágico



edit

o dia em que um filme me fez chorar.

| 18/12/2013

Hoje eu assisti ao filme “P.S. Eu te amo” pela segunda vez. Não me lembro da primeira vez que assisti, mas lembro que só achei o filme meio fofo ou coisa parecida. Hoje o assisti com uma perspectiva totalmente diferente. Hoje a minha visão do que se passava na história foi completamente distinta. Eu não sou de chorar em filmes e não chorei na primeira vez que assisti, mas hoje sim. Chorei disfarçadamente do início ao fim. Meus olhos se encheram d’água nos mesmos momento em que os olhos da Holly se encheram. Eu comecei a imaginar cada situação que ela passou, me imaginar em cada situação. Acho que por isso que não consegui conter as lágrimas. É extremamente difícil perder qualquer pessoa próxima a nós, mas deve ser muito pior perder o seu amor. Alguém que é seu companheiro, que você decidiu amar e que planejou passar o resto da vida ao lado. Só de imaginar os olhos se enchem novamente. Como no filme é dito: é muito mais fácil você aceitar uma perda quando a outra pessoa quis aquilo. No caso da morte é mais difícil de aceitar porque a outra pessoa não queria ir, não queria te deixar, não queria que se perdessem. Deve ser indescritivelmente horrível.
Então, durante o filme eu comecei a pensar em um monte de coisa... E a verdade é que a vida é isso. Infelizmente as pessoas se vão, de uma forma ou de outra. E isso só fortalece a ideia de que “a vida é mesmo coisa muito frágil”, como disse Nando. Num piscar de olhos você pode perder pessoas importantíssimas pra você e a ficha demora a cair. E isso me faz pensar no quanto nós somos pequenos, frágeis, ínfimos. Me fez refletir os mínimos detalhes dessa vida e nas tantas oportunidades que perdemos no decorrer dela. No quanto, muitas vezes, não valorizamos os detalhes, os pequenos gestos, um simples abraço. Quando esquecemos de agradecer, de pedir perdão, de dizer o quanto amamos. Quando não valorizamos as boas risadas com os velhos e novos amigos, quando achamos chatas as festinhas em família, quando achamos um saco aquela confraternização de fim de ano na faculdade/trabalho, quando não dizemos o que sentimos porque temos a certeza de que a outra pessoa já sabe. São detalhes, são pequenas coisas mesmo que nos fazem perder grandes oportunidades e nos faz pensar em quão burros fomos em deixar de fazer. São momentos que passam e não voltam. Definitivamente.

É clichê, eu sei. Mas é a verdade.
Eu espero que nós percamos os medos, o orgulho, os rótulos, as travadas que a vida nos dá na hora de falar o que sentimos. Espero que aproveitemos as boas risadas, os aconchegantes abraços, os doces beijos e os encantos dos sorrisos. Que na gente não perca nada de bom dessa vida e que saibamos aproveitar e agarrar todas as oportunidades de ser feliz!

Enfim, só um desabafo.


“A vida é mesmo coisa muito frágil, uma bobagem, uma irrelevância
 diante da eternidade do amor de quem se ama”
- Nando Reis



edit

Sobre laços e suas surpresas...

| 17/09/2013
Eu sempre gostei de laços. Criar laços com as pessoas me faz sentir que nunca estarei sozinha. E aqui na Austrália não teria porquê ser diferente, já que criar laços é uma coisa natural pra mim. 
Aqui eu estou bem leve, levando tudo devagar. A vida aqui é totalmente diferente. Tudo aqui é diferente e os até os laços que você cria com as pessoas são diferentes. Não só pelo motivo óbvio de que cada laço é diferente com cada pessoa. Eu tô falando do sentido dos laços que você cria, entende? Aqui ou você cria um laço ou você estará sozinho... Falando assim parece bem desesperado e que o laço só servirá pra você ter companhias... Mas é totalmente o contrário! Tudo o que você tem são essas pessoas e esses laços se tornam cada vez mais necessários, essas pessoas se tornam cada vez mais importantes pra você. Eles são mais fortes, às vezes parecem até inquebráveis. Estou aqui há pouco mais de um mês e é incrível perceber o quanto eles são importantes pra mim e parece que não vivo mais longe dos amigos que fiz aqui. A convivência tem sido extremamente envolvente e os laços vão se fortalecendo de uma maneira rápida e inexplicavelmente linda. É estranho e não dá pra descrever, porém é uma sensação é maravilhosa! 

Só sei que estou cheia de laços inquebráveis que levarei por toda a vida... E isso não precisa mesmo ter explicação!


edit
| 11/09/2013
"Na cama, à noite, enquanto eu penso em meus muitos pecados e meus defeitos exagerados, fico tão confusa pela quantidade de coisas que tenho que analisar que não sei se rio ou se choro, dependendo do meu humor. Depois durmo com a sensação estranha de que quero ser diferente do que sou ou de que sou diferente do que quero ser ou talvez de me comportar diferente do que sou ou do que quero ser. Minha nossa, agora estou confundindo você também."


O diário de Anne Frank
edit
| 04/09/2013
"Conte-me e eu esqueço
Ensine-me e eu recordo
Envolva-me e eu aprendo"

Nós só aprendemos com a experiência.

edit

7 dias no melhor lugar do mundo

| 08/08/2013
Meus primeiros 7 dias na Austrália foram fantásticos. A ficha só caiu um pouco depois de sair do avião.
A viagem foi extremamente cansativa, fiquei horas e horas esperando no Chile e por fim cheguei em Cairns.

Tudo aqui é MUITO lindo. Em caixa alta mesmo, pra enfatizar bem! Muito organizada, segura ao extremo, as casas nem são cercadas por muros e cerca elétrica como vemos facilmente no Brasil. É uma cidade limpa, todo mundo sorri pra você na rua, todo mundo te cumprimenta, os carros param pra você passar, é todo mundo muito educado, muito branco, muito loiro, muito japonês, muita gente de todo lugar do mundo! hahahahah
Fui à praia, mas não entrei na água... O medo dos crocodilos foi maior! hahahah Confesso que não me surpreendi tanto.. Fiquei mais surpresa com a organização e beleza do bairro do que com a beleza da praia, mas, ainda sim é muito bonita! 
A Universidade James Cook pode ser definida com a palavra perfeição! Não dá pra usar outro adjetivo! Também não tem muros ou portões. É linda, organizada, limpinha, tem gente de todo canto do mundo e é um lugar bem aconchegante, apesar de imenso. A clínica de Odontologia é uma coisa de outro mundo! Acredito que serei muito feliz por aqui! 

Se os primeiros sete dias foram desse jeito, acredito que Deus fará com que os próximos dias sejam melhores ainda! 

:)



edit

:~

| 22/07/2013

"Aprendi que amores eternos podem acabar em uma noite, 
que grandes amigos podem se tornar grandes inimigos, 
que o amor sozinho não tem a força que imaginei.
Que ouvir os outros é o melhor remédio e o pior veneno, 
que a gente nunca conhece uma pessoa de verdade, afinal, gastamos uma vida inteira para conhecer a nós mesmos.
Que os poucos amigos que te apóiam na queda, são muito mais fortes do que os muitos que te empurram.
Que o "nunca mais" nunca se cumpre, que o "para sempre" sempre acaba,
que minha família com suas mil diferenças está sempre aqui quando eu preciso. 
Que ainda não inventaram nada melhor do que colo de mãe desde que o mundo é mundo,
que vou sempre me surpreender, seja com os outros ou comigo.
Que vou cair e levantar milhões de vezes, e ainda não vou ter aprendido tudo."


- William Shakespeare
edit
| 18/05/2013
"Deus me ama! E o seu amor é tão grande, incondicional...

Pensar no amor de Deus por mim é algo apaixonante. Lembrar de todo o sacrifício de Jesus na cruz por mim, pra limpar os meus pecados, pra me dar salvação é algo que dá lágrimas nos olhos e me faz sentir maravilhosamente feliz por ter um Deus que me ama tanto assim. Pensar que o que Ele planejou pra mim jamais passou pela minha cabeça, que é maior e melhor do que qualquer coisa que eu desejo ou já desejei, me faz descansar nEle e esperar somente o melhor pra mim, pois "todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus". E o mais incrível é que o amor de Deus por nós é incondicional, pra Ele nos amar não depende das nossas ações - boas ou más - não depende se somos bons ou maus filhos, pessoas certinhas ou pessoas erradinhas, enfim, o amor de Deus por nós não depende de nada que fazemos. Não importa se pecamos, se erramos, se nos sentimos indignos desse amor (muitas vezes até somos) mas Deus não se importa, Ele só quer que nos acheguemos, porque Ele está com os braços abertos pra nós! Sempre! Ele nos ama independente de nós mesmos. Ele nos ama porque Ele é perfeito. Nós não conseguimos amar àqueles que nos traem, que nos enganam, que trapaceiam, que nos faltam com respeito. Não conseguimos porque não somos perfeitos. Mas Deus é diferente. Ainda que você o rejeite, que você não corresponda com o mesmo amor, ainda que você desobedeça e se afaste, Deus vai continuar te amando. Porque Ele é amor. O dom de amar vem dEle!

...Deus me ama! E Ele está sempre de braços abertos pra mim!"
edit

Uma missão: Fazer Sorrir

| 05/04/2013


Eu não sabia que iria amar tanto a Odontologia. Depois de já ter largado um curso de saúde e já ter pensado em inúmeras profissões pra seguir, eu escolhi ser dentista. Não sei muito bem explicar o porquê ou os porquês. Ela foi escolhida, digamos que, por ser mais cômodo e se tornou (está se tornando) mais do que essencial em minha vida. Só tenho que agradecer a Deus por ter me guiado até aqui e me sustentado a cada momento! Eu aprendi a amar a Odontologia e decidi, após conhecê-la, qual seria a minha missão na vida: fazer sorrir!

:)
edit

close your eyes.

| 23/03/2013


“Não há quem não feche os olhos ao comer, 
não há quem não feche os olhos ao cantar a música favorita,
não há quem não feche os olhos ao beijar, não há quem não feche os olhos ao abraçar.
Fechamos os olhos para garantir a memória da memória.
É ali que a vida entra e perdura, naquela escuridão mínima, no avesso das pálpebras.
Concentramo-nos para segurar a dispersão, para segurar a barca ao calor do remo.
O rosto é uma estrutura perfeita do silêncio. Os cílios se mexem como pedais da memória.
Experimenta-se uma vez mais aquilo que não era possível.
Viver é boiar, recordar é nadar. Escrevo na água, no vento da água.
O passado sem os olhos fechados é como uma roupa enrugada.
Sem corpo. Sem as folhas dos plátanos.”

Fabrício Carpinejar.

edit

a benção do ano que passou...

| 04/01/2013
Me lembro bem das minhas promessas de ano novo do ano passado. E ao olhar pra trás tive orgulho de mim mesma ao perceber que consegui cumpri-las. 
Janeiro foi um mes crucial pra mim. Decisões sérias e definitivas foram tomadas e, olha, foi a melhor coisa que eu fiz.
Meu 2012 foi cheio de surpresas, descobertas, alegrias... Eu vivi coisas lindas, conheci pessoas especiais e encontrei alguém que eu achava que já havia se perdido pelo meu caminho.

Eu só tenho a agradecer ao meu bom Deus, por ter me proporcionado tantas surpresas e coisas maravilhosas no ano de 2012.

Eu não fiz promessas pra 2013. Eu confesso que não parei pra pensar sobre isso. Mas tenho certeza que será um bom ano!
E só me resta continuar O adorando todos os dias da minha vida e pedindo pra que Ele abençoe esse nosso 2013. Para que seja cada vez mais doce (na medida certa) e mais lindo do que 2012.

Enfim, é isso.

Pode entrar, 2013! :)


edit
Postagens mais recentes Postagens mais antigas

Um blog que mistura verdades, pesares e poesia ~

© Design 1/2 a px. · 2015 · Pattern Template by Simzu · © Content ~ Apesar do Pesar