Quando a gente percebe que, realmente, passou

| 10/11/2016
A gente acha que nunca vai passar, né?
Que nunca vai esquecer o beijo, o cheiro, o abraço...
A gente acha que vai lembrar pra sempre de como a pessoa fazia a gente rir, de como era o abraço, de como o cheiro no cangote era gostoso.
A gente acha que a dor da perda não vai passar nunca, que aquela pessoa vai permanecer no seu coração pra sempre (até permanece, mas não como a gente imagina), você acha que nunca vai esquecer e blablabla.
Mas a verdade é que tudo passa. Às vezes demora alguns meses, outras demora um, dois anos... mas passa! E é incrível como passa! hahahaha
Uma hora ou outra você se pega pensando que já não pensa mais tanto assim, que já não lembra mais tanto assim, já não lembra do cheiro, do beijo, do abraço... As músicas não te fazem lembrar ninguém, nem os lugares, nem os textos são inspirados naquela dor. Já não lembra o quanto que a pessoa te fazia rir, o quanto ela te fez chorar ou o quanto ela te machucou. Simplesmente, chega um momento em que parece que nada nunca existiu. Sério! Juro pra vocês que essa hora chega! 

E você não seria diferente. Meu Deus, por quantas vezes eu quis novamente tudo isso?! Por quantas outras fui ignorada? Por quantas outras você demonstrava se importar, e logo depois ia embora? Fugia como se nada fizesse sentido. Eu sei que você sabe que foram muitas.

Mas sabe o que foi mais engraçado nessa história toda? O dia em que tu, como quem não quer nada (ou tudo), voltou com uma conversinha de arrependimento, de que daríamos certo... Essa tua volta foi o mais engraçado. Porque eu pude perceber que, apesar de todo carinho que eu ainda sentia por tu, não cabia mais nenhum outro sentimento por você aqui dentro. Porque tu voltou quando nada mais tinha sentido pra mim, quando nada mais importava. Tu se fez tanto ausente que eu me acostumei com a sua falta e tudo, felizmente, passou!
Tu voltou e eu percebi que tu ainda morava no meu coração, mas não da mesma forma. Tu me marcou muito, assim como eu também te marquei. E foi isso que sobrou: as marcas que deixamos na vida um do outro. E isso é que é importante, né? Saber valorizar o que foi bom e guardar a pessoa naquele espaçozinho lá no coração, ela nunca sai de lá, mas também não faz bagunça nenhuma.

Eu nunca vou esquecer você, mas nosso tempo acabou. A gente deixou acabar.
A gente até poderia dar certo, como você mesmo disse. Mas a gente, meu amor, não era pra ser. E que bom que descobrimos isso na hora certa.


Hoje eu te guardo bem aqui, cheia de carinho, com vontade de te abraçar toda vez que eu te encontrar, mas é só carinho. Porque o resto, aquele resto todo, foi embora junto com você naquele aeroporto.




edit

é preciso estar disposto...

| 02/08/2016
Hoje em dia, entre tantas oportunidades e possibilidades de pessoas pra se relacionar, fica difícil achar quem se dispõe pro amor. Eu não acho que as pessoas, em sua maioria, tenham medo de se envolver. Eu acho que a diversão e curtição falam mais alto hoje em dia do que mergulhar de cabeça e se envolver com alguém. Relacionamento é complicado, cheio de regrinha, de horários, de tabela... Não é fácil namorar, decidir se envolver de fato com alguém, muitas vezes, muito diferente de você. Pegaçao é mais simples, não tem obrigação de avisar quando chegou em casa, não tem que avisar que tá saindo com os amigos, não precisa falar todo dia. Não precisar dar satisfação da vida e não só por essas coisinhas, considero muito bobo tudo isso, mas, principalmente por não ter responsabilidade nenhuma pelo outro ser, pelo sentimento do outro, pelas expectativas e pela obrigação do final feliz. As pessoas estão fugindo das responsabilidades porque viver já é por demais cansativo. E viver num relacionamento nem sempre faz bem.
Eu entendo super essa galera. E também sei que no fundo essas pessoas sentem falta de uma alma que toque a sua, que entenda suas loucuras, sentem falta daquela ligação profunda que a gente não tem com qualquer um, muito menos encontra do dia pra noite. Sentem falta de um beijo que dure mais que uma balada, de conversas profundas que durem mais que o básico, dos abraços que acolhem e aquietam a alma. Sei que sentem falta de alguma coisa que transborde, mas a vida de solteiro tá boa demais pra ter tempo de se preocupar com essas coisas. E ninguém tá disposto, tá todo mundo muito ocupado escolhendo a próxima roupa da balada, a próxima foto do Instagram e na mensagem pra despistar o casinho da noite passada.
Tá todo mundo ocupado demais, sonhando com o amor todo dia que deita na cama, mas não assume nem pra si mesmo.
Tá todo mundo fugindo de toda e qualquer responsabilidade que um um relacionamento pode trazer.
Tá todo mundo fugindo do amor.
E o amor, leve como ele é, não gosta de ficar correndo atrás de ninguém. Ele gosta de quem tá disponível pra ele. Ele gosta de quem tá disposto.
E se você não tá disposto pro amor, ele não vai perder tempo correndo atrás de você.


edit
| 11/07/2016
São 3:39am e eu ainda me encontro aqui com a cara inchada e os olhos cheios de lágrimas. Péssima ideia assistir a esse filme na semana pós TPM e depois de uma noite em que as lágrimas pareciam sair sem uma razão específica. Péssima ideia. Tinha que vir de você. Mas eu sabia desde o começo que eu seria a única a sair disso cheia de lágrimas nos olhos. E eu não estou falando só do filme.


Sabe, eu me achei bem parecida com a Louisa. Faladeira, destrambelhada, desastrada, que tem um coração gigante e que não consegue esconder o que sente. E você me lembrou o Will. Bem frio às vezes, mas com um coração e um carisma gigantes. É, de certa forma, você é meu Will. Decidido por algo que quer em sua vida, decido por algo em que acredita ser o certo e abrindo mão de algo bonito que poderia viver. Você foi meu Will quando pediu pra eu ficar ao seu lado mesmo sabendo que seria doloroso pra mim. Foi meu Will quando viveu vários momentos bonitos, mas no fim decidiu que não poderia viver daquele jeito. Você foi meu Will todas as vezes que colocou um sorriso em meu rosto. Você foi meu Will quando ao inves de ficar, você resolveu ir...


Ainda que você ame alguém, você não pode muda-lo. Ainda que você ache que sabe o que é o melhor, ainda que a ideia do outro pareça sem sentido e egoísta, você nunca pode dizer o que alguém vai fazer da sua própria vida, nunca pode dizer pelo que vale a pena ou não o outro viver. Só ele sabe.

É preciso aceitar e deixar ir. Além disso, é preciso amor pra aceitar a decisão do outro sem mágoas. Cada um sabe até onde vale a pena ir e o que faz seu coração feliz. Deixe-o descobrir.


Você é o meu Will. 




"Sometimes, Clark, you are pretty much the only thing that makes me want to get up in the morning"


edit

Carta ao meu futuro amor

| 05/07/2016
Caro futuro amor,

A gente ainda não se conhece, ou já se conhece.. who knows?!
E eu sei, sou difícil de lidar, mas eu te peço: tenha paciência. Se você não tiver, não vai dar certo entre a gente.
No começo, eu sou insegura mesmo. Sei que insegurança não é algo que deva ser assumido, mas eu assumo, pelo menos pra mim e pra você nessa suposta carta.
Sou insegura e vou achar sempre que tem algo errado comigo que fará você desistir ou nem começar nada entre nós. Eu preciso que você me faça sentir segura, me faça sentir que não desistirá só porque eu como demais, falo demais ou faço perguntas demais.
Não precisa ser igual aquele outro que vivia pra mim. Não. Não quero. Já chegaremos prontos: cada um com sua vida, seus planos, seus sonhos. Não quero que você desista da sua vida pra viver a minha. Quero e preciso que você tenha outros planos e sonhos pra que, comigo ou não, consiga seguir. O mesmo serve pra mim. Saiba que não vou viver pra você, não vou deixar de ver meus amigos, e nem quero que deixe de ver os seus, nem vou deixar de fazer aquela viagem às cataratas só porque você não poderá ir. Quero que tu viva pra tu mesmo, porque a vida é sua e só. Não precisa fazer de tudo por mim. Não, não quero. Relacionamento é doação, é ‘alguém tem que ceder’, mas que seja pelo bem dos dois e não só-porque-eu-quero, porque eu não sou mais aquela menina mimada que tem que ter tudo que quer só porque quer. Ah, e não fica de grude demais. Eu gosto do meu espaço, eu gosto de ter o controle dos meus passos e de te ligar quando eu bem entender só porque tô com saudade. Se tu fica muito em cima, eu acabo me sentindo sufocada e eu sou claustrofóbica, sabe?! Se aperta demais, sufoca e dá falta de ar e aí já sabe o final disso. Não me liga demais, não fala coisa fofa demais e me deixa na dúvida, pelo menos no começo. Não me deixa saber que eu tenho tudo de tu a qualquer hora, que tu é todo meu em todos os dias da semana, que tu morreria por mim. Não me deixa saber! Não no começo! No começo eu quero a dúvida, quero o não saber como agir, quero o frio na barriga na hora da despedida por não saber se tu vai me beijar ou não. Mas só no começo. Ah, eu adoro surpresas. Não só no começo. Haha Chega sem pedir permissão na porta da minha casa, me chama pra sair quando eu menos esperar, me liga no meio da aula só pra chamar pra me dar um beijo, vai me ver rapidinho só pra dizer que sentiu falta dos meus olhos. E quando tiver comigo, beija meus olhos. Cheira meus cabelos, meu pescoço e beija minhas mãos. Não me beija na frente das pessoas na luz do dia porque eu tenho vergonha. Mas me abraça sempre que puder, caminha de mãos dadas comigo e por favor, não solta minha mão ao atravessar a rua. Eu sei que vou dizer sempre pra você que sei me cuidar sozinha, que não preciso que alguém fique o tempo todo cuidando de mim como se eu fosse uma criança.. mas pega minha mão ao atravessar, por favor.
Quando a gente sair pra comer, não fala nunca que eu como demais. I already know! Tenho boca nervosa, se tiver comida, eu vou continuar comendo. Meu metabolismo é acelerado e eu não vou achar que “comilona” é um elogio. Às vezes eu falo rápido demais e falo muita coisa ao mesmo tempo. Não faz cara de tédio nessa hora, por favor. Diz pra eu desacelerar e dá risada, que aí eu me desarmo. Ah, as vezes eu falo alto, mas prometo que tô lidando com isso. Se eu falar alto em lugar público, me da um toque, por favor. Às vezes eu nem percebo! Hahaha
Outra coisa que você precisa saber é que eu gosto muito de chocolate. E na tpm eu gosto ainda mais. Chega de surpresa com um chocolate que tu desarma qualquer tpm e vai ser o winner dessa batalha! Sério! Ah, e me faz dengo. Não o tempo todo. Me faz cafuné sempre que for possível, menos na hora de dormir, porque eu me desconcentro. Hahah Na hora de dormir tu pode mexer nos meus cabelos, mas não faz cafuné! Acho lindo dormir de conchinha, mas não dá pra mim. Gosto de dormir meio largada, sabe? No meu ladinho da cama, que não é o da parede, deixo esse lado pra você. Então, espero que você não fique chateado quando eu largar sua conchinha pra me espalhar na minha cama. Mas de manhã, me acorda sempre com um abraço e um beijo no pescoço, ta?
Quando você for conhecer a minha família, conversa muito com minha mãe. Não puxa o saco, não. Só dá corda pra ela conversar. Ela vai te amar, vai por mim! Pra conquistar meu pai não precisa de muito também, mas não torcer pro vitória já é um bom começo! Meu irmão é fácil de lidar, só precisa ser gente boa, e certamente, você será. O resto da família você não precisa fazer questão de agradar, nem eu faço. Hahah
Não tenha ciúmes dos meus amigos homens, por favor. Tenho alguns e pretendo mantê-los. Pare de achar que eu sou a mulher mais gostosa do universo e que todos os caras me querem. Isso soa inseguro e te faz perder pontos. Porque, claro, você vai acumulando pontos com o tempo. Não fala mal da sua ex, por favor. Por mais que ela tenha sido filha da puta contigo, ou ter te magoado ou sei lá o que. Não fala mal dela, nem de ninguém. É feio.



Tem muita coisa sobre mim que você precisa (ou não) saber, mas nem se eu quisesse, eu conseguiria colocar isso em palavras. Que eu sou chata, organizada, bestalhada, tu vai perceber rapidinho. Tem coisa sobre mim que tu pode nem saber e os outros detalhes tu só consegue saber com o tempo.


Enfim, acho que por hora é isso.
Eu espero que tu chegue com sede o suficiente pra conhecer o resto.

Um beijo,


Seu futuro amor.



edit

~talvez~ a gente daria certo

| 30/06/2016
Quando a gente se conheceu, la por outubro de 2004, era tudo meio que brincadeira pra nós dois. Nunca esqueci de quando você me beijou e perguntou: “Por que eu não te encontrei antes, menina?!”. Quis acreditar que era sincero. A cada dia, cada novo sorriso, cada nova conversa, cada pedacinho teu que eu ia conhecendo, cada tarde com os cotovelos debruçados na mesa da lojinha, cada olhar sincero e a cada abraço recebido e dado, me fizeram sentir uma coisa inesperada por você. Que eu fazia questão de não assumir pra mim mesma e muito menos pra você. E a gente levava aquela nossa brincadeira (que parecia coisa séria) muito bem. Você era até romântico as vezes e eu nunca soube como agir com você, eu só era eu mesma, e isso bastava, eu acho. Já que, pra mim, aquilo não passaria daquilo, entende? Aquilo tinha data pra acabar e eu não estava disposta a chorar e deixar meu coração ser quebrado assim. Mas, mais uma vez, a gente não controla sentimento e muito menos apego. A gente se apegou, a gente queria estar perto, a gente não conseguia não se ver. Até que você sumiu. E eu fiquei arrasada. Eu não esperava ficar, eu juro. Eu inventava mil desculpas pra justificar minha tristeza, mas nunca assumi que eu, de fato, tinha me apaixonado por você. Eu nunca assumi isso até o momento de escrever isso aqui, vale ressaltar. E isso nunca teve um ponto final bem dado. Não na minha cabeça. Mas como pra mim aquilo nunca ia dar certo, eu tratei logo de cobrir a ferida, visto que uma hora aquilo teria que acabar, eu já estava com os esparadrapos à postos.

E eu passei minha vida inteirinha lembrando de você. Não aquele lembrar que faz a gente ficar triste, querendo ter a pessoa de volta a todo custo. Não, nada disso. Eu lembrava de você e tinha uma saudade bonita, uma saudade boa de sentir que me fazia sorrir por lembrar do que a gente teve. Por lembrar que você foi o primeiro que fez com que sentisse aquela coisinha que chamam de ‘gostar de alguém’ pela primeira vez. E no fundo, lááááá no fundo mesmo, tinha alguma coisinha que me fazia lembrar de você e suspirar. Mas a gente nunca daria certo e eu segui a vida. E você reapareceu. Duas vezes. Você não bagunçava nada, incrível. Você entrava, conversava, tomava um chá e deixava todos os sentimentos intactos, você não fazia nenhum sentimento reviver e eu não deixava isso acontecer porque na minha cabeça a gente nunca daria certo. Mas eu sempre suspirava. Da segunda vez você reapareceu e mexeu um pouco nas coisas, fez com que aparecesse aquela dúvida do “será que daria certo?!” e fez com que eu contasse pras amigas com um sorriso de orelha à orelha. Mas, no final das contas, você sumiu de novo. E como a gente nunca daria certo, eu tratei de arrumar as gavetas e deixar pra lá.


Dois anos se passaram e eu ainda lembrava de você e suspirava. Ainda contava nossa história quando perguntavam quando eu me apaixonei pela primeira vez na vida ou de quem foi o melhor beijo que eu já provei. Mas a gente nunca daria certo, pensava, suspirava e levava a vida.  Eu nunca, repito: eu nunca pensei que a gente pudesse ter algo. De verdade. Isso era tão claro na minha cabeça que eu nem pensava nos 5 filhos que teria contigo. Hahaha Nunca pensei que eu pudesse estar hoje aqui, às 22:26 do dia 28 de janeiro de 2015 sentada na minha caminha, escrevendo nossa história e pensando que eu queria você. Por achar que a gente nunca daria certo, eu achei que eu te beijaria de novo e que tu não teria nenhum impacto na minha vida. Eu queria te ter de novo, nem que fosse por um momento, e achava que eu voltaria a te olhar de novo como aquele cara que nunca daria certo. Eu estava redondamente enganada. Porque tu significou pra mim muito mais do que um dia eu pude assumir pra mim mesma. Porque quando tu sumiu em 2004 tu fez uma falta tão grande, mas tão grande que a loja fechou mais cedo porque eu não conseguia mais ficar lá sem tua companhia. Tu significou demais pra mim e mesmo que eu não queira, tu voltou e bagunçou tudo. E dessa vez tu não me deixou com condições de arrumar a bagunça. Pela primeira vez na vida eu assumi pra mim mesma que eu queria alguma coisa com você. Porque eu acho que a gente daria certo.



edit

c a t i v a r ~

| 15/06/2016
Dia desses, enquanto perdia meu tempo olhando o facebook e tentando esquecer tua lembrança pela décima vez, alguém postou um trecho de 'O pequeno Príncipe'. Um dos meus favoritos, mas que há algum tempo não pensava sobre ele.
E foi lendo “O que quer dizer ‘cativar’?” que eu me lembrei de você. Afinal, como não lembrar?
É nessas horas que a gente se pergunta, porque com tanta gente por aí, existe somente uma que faz nosso coração acelerar, nossa perna tremer, o corpo arrepiar e o sorriso enlarguecer num só segundo. Alguém que te traz agonia e calmaria, no mesmo momento. É o tal do cativar, porque, como disse a Raposa ao little prince:


“Tu não és ainda para mim senão um garoto inteiramente igual a cem mil outros garotos. E eu não tenho necessidade de ti. E tu não tens também necessidade de mim. Não passo a teus olhos de uma raposa igual a cem mil outras raposas. Mas, se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro. Serás para mim o único no mundo. E eu serei para ti única no mundo...”

Único no mundo. É isso. Exatamente isso que tu é pra mim. Único no mundo, o único em que eu consigo achar tudo e achar graça de tudo. É contigo que eu dou os meus melhores sorrisos, que a barriga dói de tanto falar besteira. É contigo a DR mais engraçada, que sai do quase choro ao riso de não conseguir mais parar. É contigo que eu posso contar em qualquer momento da minha vida. É contigo que eu passo os meus melhores momentos nos piores cenários. É em ti que eu consigo encontrar um amigo, companheiro, conselheiro, confidente, cúmplice, amor e amante. Tu és pra mim único no mundo porque tu me cativou, e se cativar é criar laços, nós criamos um dos mais bonitos, criamos laços que enfeitarão nossas vidas até quando a gente quiser.

É isso, tu me cativou.



"- O que quer dizer "cativar"?
- É uma coisa muito esquecida, disse a raposa. Significa "criar laços”.
- Criar laços?
Exatamente, disse a raposa. Tu não és ainda para mim senão um garoto inteiramente igual a cem mil outros garotos. 
E eu não tenho necessidade de ti. E tu não tens também necessidade de mim. 
Não passo a teus olhos de uma raposa igual a cem mil outras raposas. 
Mas, se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro. 
Serás para mim o único no mundo. 
E eu serei para ti única no mundo..."

- O Pequeno Príncipe
edit
Postagens mais recentes Postagens mais antigas

Um blog que mistura verdades, pesares e poesia ~

© Design 1/2 a px. · 2015 · Pattern Template by Simzu · © Content ~ Apesar do Pesar