Quando a gente percebe que, realmente, passou

| 10/11/2016
A gente acha que nunca vai passar, né?
Que nunca vai esquecer o beijo, o cheiro, o abraço...
A gente acha que vai lembrar pra sempre de como a pessoa fazia a gente rir, de como era o abraço, de como o cheiro no cangote era gostoso.
A gente acha que a dor da perda não vai passar nunca, que aquela pessoa vai permanecer no seu coração pra sempre (até permanece, mas não como a gente imagina), você acha que nunca vai esquecer e blablabla.
Mas a verdade é que tudo passa. Às vezes demora alguns meses, outras demora um, dois anos... mas passa! E é incrível como passa! hahahaha
Uma hora ou outra você se pega pensando que já não pensa mais tanto assim, que já não lembra mais tanto assim, já não lembra do cheiro, do beijo, do abraço... As músicas não te fazem lembrar ninguém, nem os lugares, nem os textos são inspirados naquela dor. Já não lembra o quanto que a pessoa te fazia rir, o quanto ela te fez chorar ou o quanto ela te machucou. Simplesmente, chega um momento em que parece que nada nunca existiu. Sério! Juro pra vocês que essa hora chega! 

E você não seria diferente. Meu Deus, por quantas vezes eu quis novamente tudo isso?! Por quantas outras fui ignorada? Por quantas outras você demonstrava se importar, e logo depois ia embora? Fugia como se nada fizesse sentido. Eu sei que você sabe que foram muitas.

Mas sabe o que foi mais engraçado nessa história toda? O dia em que tu, como quem não quer nada (ou tudo), voltou com uma conversinha de arrependimento, de que daríamos certo... Essa tua volta foi o mais engraçado. Porque eu pude perceber que, apesar de todo carinho que eu ainda sentia por tu, não cabia mais nenhum outro sentimento por você aqui dentro. Porque tu voltou quando nada mais tinha sentido pra mim, quando nada mais importava. Tu se fez tanto ausente que eu me acostumei com a sua falta e tudo, felizmente, passou!
Tu voltou e eu percebi que tu ainda morava no meu coração, mas não da mesma forma. Tu me marcou muito, assim como eu também te marquei. E foi isso que sobrou: as marcas que deixamos na vida um do outro. E isso é que é importante, né? Saber valorizar o que foi bom e guardar a pessoa naquele espaçozinho lá no coração, ela nunca sai de lá, mas também não faz bagunça nenhuma.

Eu nunca vou esquecer você, mas nosso tempo acabou. A gente deixou acabar.
A gente até poderia dar certo, como você mesmo disse. Mas a gente, meu amor, não era pra ser. E que bom que descobrimos isso na hora certa.


Hoje eu te guardo bem aqui, cheia de carinho, com vontade de te abraçar toda vez que eu te encontrar, mas é só carinho. Porque o resto, aquele resto todo, foi embora junto com você naquele aeroporto.




edit

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga

Um blog que mistura verdades, pesares e poesia ~

© Design 1/2 a px. · 2015 · Pattern Template by Simzu · © Content ~ Apesar do Pesar