Silêncio.

| 13/04/2011
E de mim sobrara apenas o silêncio
O silêncio de uma confusão de barulhos que gritavam dentro de mim
Sons que desejavam ser pronunciados sem a devida autorização
Barulhos que eu ordenei que silenciassem
Palavras que um dia soaram tão bem, hoje não mais fazem sentido
Silêncio que carrego comigo.
E me faz companhia.



"Vou levando assim que o acaso é amigo do meu coração
Quando fala comigo, quando eu sei ouvir...
"
edit

Um comentário:

  1. " Eu sempre digo que podemos ter uma solidão medonha, mas sempre vai haver um vasinho de flores num canto. A gente pode enfeitar a amargura. "

    ResponderExcluir

Postagem mais recente Postagem mais antiga

Um blog que mistura verdades, pesares e poesia ~

© Design 1/2 a px. · 2015 · Pattern Template by Simzu · © Content ~ Apesar do Pesar